Loading...

sábado, 27 de agosto de 2011

No Cabaré, Fábio diz que fim da integração deflagra guerra civil na Grande Aracaju



Por Eliz Moura

“A realização da licitação do transporte coletivo será uma tragédia para 40% da população de Sergipe, que está concentrada na região metropolitana”. A declaração foi feita pelo prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT/SE), durante a sabatina da 33ª edição do NósnoCabaré.comConvidados, na noite da quinta-feira (25). “Acho que o Governo do Estado precisa intervir para garantir a integração do transporte coletivo, uma conquista de mais de 20 anos. O poder público existe para aumentar os direitos da população”, cobrou.

O prefeito define como prenúncio de “uma guerra civil” o fim da integração do transporte, prejudicando cerca de 1,5 milhões de passageiros de Socorro, Barra dos Coqueiros e São Cristóvão.

Fábio Henrique pede a intervenção do Governo do Estado para regulamentação definitiva da região metropolitana, incluindo os municípios de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros, São Cristóvão, além de Laranjeiras, Maruim e Santo Amaro. “Quem precisa licitar a integração é o governo do Estado. Do contrário, como vai ficar a situação deste 1,5 milhão de passageiros?”, questionou.

Unilateral

Segundo Fábio Henrique, a exemplo do anúncio da implantação do aterro sanitário na Palestina, também o anúncio da licitação do transporte coletivo de Aracaju aconteceu à revelia dos demais prefeitos e por decisão unilateral de Edvaldo Nogueira (PCdoB). “O prefeito de Socorro não foi convidado para participar do anúncio (entrevista coletiva). Acho estranho o anúncio de uma obra na Palestina, sem discutir com Nossa Senhora do Socorro”.

Ele confirma a assinatura no protocolo de intenções, estabelecendo proposta de consórcio entre os municípios da Grande Aracaju para implantação do aterro sanitário comum, mas garante não haver no documento qualquer referência à localização do mesmo na palestina.

“Acho que faltou um gesto de civilidade”, amenizou o pedetista, ao ser questionado se se sentia agredido ou desrespeitado pelo prefeito da capital. “Eu não conheço nada do aterro anunciado e o consórcio nunca saiu do papel”, assegurou.

“Apesar do protocolo já assinado, o consórcio só existe no papel porque nunca se reuniu. O problema é que antes de se discutir o projeto no consórcio, discutiu-se no CDL, no MPE/SE e na imprensa”, criticou, considerando que “sem o licenciamento, não há o que se discutir. Está se discutindo o sexo dos anjos”, sentencia, alegando que, por duas vezes, a Adema/SE se manifestou contrária à implantação do aterro na Palestina.

Ele afirma que a rejeição da Adema à implantação na Palestina está fundamentada em dois Estudos de Impacto Ambiental – Eia/Rima. “Não tem licenciamento, morreu, acabou. Não será na Palestina”, reafirmou.

Autonomia

“Não é questão pessoal com Edvaldo Nogueira. Quero defender o direito da minha cidade”, disse, confirmando que poderá buscar a justiça para assegurar a autonomia administrativa do município. “A justiça existe para todos. Eu digo que ninguém vai construir um aterro sanitário na Palestina sem a licença ambiental e sem ouvir a população de Socorro. A cidade de Nossa Senhora do Socorro tem prefeito”, reagiu. “Esta obra só irá acontecer se for economicamente viável para Socorro”, avisa.

“Decisão judicial se cumpre. Mas, se a Justiça autorizar a implantação do aterro na Palestina terá que arcar com a responsabilidade e com os danos que decorrerem desta decisão”, reagiu.

O prefeito também garante que a prefeitura não tem condições financeiras de custear R$ 3,5 milhões para a implantação do projeto em Socorro, assim como, ainda pagar pelo depósito do lixo no aterro. “Com esse valor, Socorro pode construir o seu próprio aterro e resolver o seu problema”, alertou.

Como alternativa, ele dispõe de uma proposta de usina de carbonização de resíduos sólidos, com capacidade de eliminação de 100% de resíduos de origem animal e vegetal, de autoria do empresário Railton Lima, oriundo do município de Lagarto. “Disse a ele que licencie o seu projeto”, esclareceu.

2012

O prefeito confirmou que irá disputar a reeleição em 2012. “Não me causa nenhum medo, nem tenho interesse em saber o que vai acontecer com os adversários. Não tenho medo de ninguém. Trabalhamos o nosso grupo e estamos prontos para enfrentar quem vier. Vamos enfrentar e vencer”, diz.

Ele afirmou que o ex-prefeito Tonho da Caixa e a ex-deputada Elma Paixão fazem parte do agrupamento, participam da administração e deverão continuar firmes na aliança.

PDT
Como presidente estadual do PDT, Fábio Henrique informa que a executiva nacional já deliberou que irá requerer judicialmente a titularidade dos mandatos dos filiados que deixarem a sigla para ingressar em outra agremiação partidária.

Ele diz que o partido se encontra em processo de filiações e está se estruturando, uma vez que todos os diretórios municipais foram dissolvidos, sendo formadas comissões provisórias e preparando a sigla para apresentar chapas nos 75 municípios de Sergipe.

PMA 2012

Sobre a sucessão municipal em Aracaju em 2012, o presidente do PDT garantiu que o único compromisso do partido é com a chapa de vereadores, não tendo nenhum atrelamento político. Embora que, sendo da base aliada ao governo, “terá a delicadeza de ouvir todos os candidatos a prefeito da capital”.

Ele revelou especial simpatia por uma suposta candidatura do deputado federal Valadares Filho (PSB/SE) à PMA, mas disse que a decisão não será pessoal e, sim, colegiada dentro do diretório municipal de Aracaju. “O PDT é um partido que não tem dono”, falou.

Eleições 2014

Fábio Henrique preferiu amenizar, ao ser questionado sobre a possibilidade de um racha entre o agrupamento dos Irmãos Amorim e do governador Marcelo Déda (PT) com vistas ao pleito eleitoral de 2014. “Acredito que Déda e Amorim terão juízo e sabedoria para continuar juntos porque foram eleitos juntos”.

Ele reconhece ter um relacionamento mais estreito com o empresário Edvan Amorim, em decorrência da sua disponibilidade de dialogar com os aliados. “Sempre que fui à procura do Amorim, entrei e saí pela porta da frente. Nunca fui com chapéu mexicano”, ironizou.

Estilo

Embora atribua ao estilo pessoal, Fábio Henrique acredita que o governador Marcelo Déda deveria ouvir mais os aliados. “Às vezes, as pessoas só precisam de atenção. Precisam conversar e ouvir opiniões”.

O prefeito diz ter uma relação administrativa positiva com o governo do Estado, tendo sido sempre bem atendido pelo governador nos pleitos que fez. “Mas, sou um aliado que não dá trabalho ao governador e não tenho cargos no Estado. De 36 escolas estaduais, não indiquei nenhum diretor, coordenador, nem secretário. Não indiquei a diretora da DR-8 e nenhum vigilante para o hospital. Digo o mesmo do meu aliado deputado José Franco (PDT). Não tenho nenhum cargo no governo. Se encontrar algum, pode exonerar”, desafiou.

Questionado, disse já ter exposto a falta de prestígio em conversa com o governador, que, segundo Fábio Henrique, teria decidido manter a situação anterior.

O prefeito criticou o comportamento do secretário de Estado da Articulação Política, Francisco Buchinho (PT). “Ele abriu um precedente perigoso, autorizando a invasão de um terreno doado ao Sindicato dos Radialistas de Sergipe, em projeto aprovado pela Câmara de Vereadores de Socorro”.

Segundo o prefeito, teria recebido ligação do secretário de Estado da Casa Civil, Jorge Alberto, solidarizando-se e comunicando a discordância de Marcelo Déda para com o “erro” de Chico Buchinho.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

"Casa de Ferreiro! Espeto de Pau"

Prefeito cede prédio para Polícia Comunitária

A população do 18 do Forte comemorou a notícia
(Fotos: Lízia Martins)
clique para ampliarclique para ampliar
A novidade foi anunciada durante o encerramento da Festa de São Pio X
O prefeito assinou o projeto de lei que será enviado à Câmara, documento foi lido para a comunidade

Na noite deste domingo, 21, o prefeito Edvaldo Nogueira deu o primeiro passo rumo a mais uma melhoria para os moradores do bairro 18 do Forte. Durante a missa de encerramento do novenário da Igreja São Pio Décimo, o prefeito assinou o projeto de lei autorizando a concessão de um prédio municipal para a construção da sede da Polícia Comunitária do bairro.
A medida cede o imóvel para a utilização da comunidade por um período de dez anos, podendo ser renovado por mais dez anos. A criação do projeto, elaborado de acordo com as necessidades locais, é prova do comprometimento da administração municipal com os moradores da zona Norte de Aracaju. Segundo o prefeito Edvaldo Nogueira, a implantação da Polícia Comunitária é um anseio antigo da comunidade.
"Este é um compromisso que assumi com os moradores da região ainda durante a campanha, e hoje venho honrar essa dívida na presença da comunidade. Estamos cedendo um prédio municipal para a construção da Polícia Comunitária, para melhorar a segurança do bairro. Logo que a Câmara Municipal de Aracaju aprovar esse projeto, devem ter início as obras", afirma Edvaldo.
O vereador Moritos Matos, conhecido por atuar em benefício das comunidades da zona Norte, irá levar o projeto para votação entre os vereadores ainda esta semana. Para ele, as ações da Prefeitura levam mais qualidade de vida às famílias da região. "Esta é uma luta da comunidade, e agora com o apoio do prefeito esperamos finalmente ter a Polícia Comunitária implantada no bairro", disse Matos.
Melhorias
Quem já comemora a vitória é a população. Para o morador Anselmo Costa, conceder o prédio para a utilização dos moradores demonstra a preocupação da administração municipal com a comunidade. "Nossa vida aqui vai mudar muito com a criação da Polícia Comunitária. É um sonho que a gente tem há muitos anos, e também mostra a consideração do prefeito com a gente, aproximando o poder público da popualçao", analisa Anselmo.
Além disso, o prefeito também reforçou que mais melhorias ainda estão por vir para a região do 18 do Forte. "Até o final do ano a Prefeitura de Aracaju pretende começar a reforma da praça, tão aguardada pelos moradores, e logo que passar o período de chuvas será feito o recapeamento asfáltico das ruas desse bairro onde há tráfego de ônibus", disse o prefeito de Aracaju.

Enquanto Isso:
Guardas Municipais trabalham em Postos de Serviços nestas condições.



sexta-feira, 19 de agosto de 2011

“Aliança entre Déda, Jackson e Valadares é suruba entre inimigos que dormem juntos”

Por Eliz Moura


“Nunca achei que politica fosse profissão. Apresentei o projeto para extinguir a aposentadoria de vereador em Aracaju e não aceitei os benefícios da indenização e do subsídio mensal instituído pela Lei da Anistia para os presos políticos porque já me sinto contemplado, desde 1988, com o advento da Constituição Cidadã, que restituiu os meus direitos políticos. Receber é legal, mas não é moral”. A declaração foi feita pelo ex-vereador de Aracaju e fundador do PT em Sergipe, Marcélio Bomfim, durante a sabatina da 32ª edição do NósnoCabaré.comConvidados, realizada na noite da quinta-feira (18).

“As minhas convicções não morreram porque não morre o que nunca nasceu. Nunca existiu socialismo no Brasil. O socialismo é a democracia no mais alto grau de desenvolvimento”, teoriza.

Na próxima quarta-feira, dia 24 de agosto, Marcélio Bomfim completa 50 anos de militância política. “Há 50 anos, ao lado do jornalista Paulo Barbosa, estava na frente da prefeitura de Aracaju, com o então prefeito José Conrado de Araújo, em ato de resistência à ameaça de invasão do exército ao prédio da prefeitura”, relembra.

Natural de Canhoba/SE, oriundo do Partido Comunista Brasileiro – PCB, preso político e torturado durante o regime militar, exilado por 3 anos na União Soviética, atualmente com 67 anos e sem exercer mandato eletivo, Bomfim se declara com força e disposição para se fazer política.

Recomeçar

“Ninguém precisa ter mandato ou ser candidato para fazer política. Se houver necessidade de começar tudo de novo, de organizar a formação de um partido político e de trabalhar pelo Brasil, farei tudo de novo e sem nenhuma mágoa”.

Em vida, Marcélio Bomfim já figura na história do Brasil e de Sergipe entre os “Ícones de um Terremoto”, livro escrito por Paulo Barbosa, distribuído e autografado por Paulo Barbosa Filho, no Cabaré de 5ª.

“Estou vivo hoje graças a dois jornalistas: Milton Alves e Paulo Barbosa, que, como correspondentes do jornal Estado de São Paulo, tiveram a coragem de denunciar, por telex, prisão e tortura dos companheiros no Quartel do 28º BC em Sergipe”, agradece emocionado.

Além de Marcélio Bomfim e Paulo Barbosa, enfrentaram prisão e tortura durante o regime militar: Milton Coelho, Luís Eduardo Costa, Antônio Joaquim, Wellington Mangueira e a esposa Laura Marques, Agonalto Pacheco, Delmo Nazia, Antônio Góis ( ex-vereador Goisinho), Paulo Hilário, Carivaldo Lima Santos, Rosalvo Alexandre, Carlos Alberto Menezes (Charles) e Elias Pinho (Promotor de Justiça).

O ex-vereador afirma que o Partido Comunista Brasileiro se acabou entre 1979 e 1980 com a queda do Muro de Berlim. “Nosso partido se acabou. Sucumbiu com o fim do Leste Europeu”, repete, lembrando ter ouvido a sentença de Luís Carlos Prestes, o que motivou o início do movimento Pró-PT.

Pró-PT

“Quando tomei a decisão de ajudar a organizar o PT, faltava no Brasil um partido com compromissos com uma sociedade mais justa, igualitária e socialmente democrática”, defendeu, acrescentando que aceitou ser, em 1982, o primeiro candidato a governador de Sergipe pela sigla, atendendo a estratégia nacional de apresentar candidaturas próprias no maior número de estados. “Naquela eleição, a maior vitória do PT não seria contada pela quantidade de votos ou de parlamentares eleitos, mas pelo número de candidaturas aos governos apresentadas”, esclareceu.

Ele confessa ter abonado a ficha de filiação ao PT do então estudante Marcelo Déda. “Fico feliz em ver que alguém que caminhou ao nosso lado cresceu e se tornou uma das maiores lideranças políticas de Sergipe”. Mas, admite nunca ter votado em Marcelo Déda para cargo majoritário. “Espero estar vivo em 2014 para ir para fila votar nele para senador, devolvendo o voto que ele me deu em 1982”, declarou, alegando que o petista se mostra um excelente parlamentar e deixa a desejar como administrador.

Alianças

“A sociedade precisa de saúde, educação e segurança pública e nada disso está acontecendo no governo dele”, justificou, apontando o desvirtuamento do projeto político originário do Partido dos Trabalhadores em favor de “alianças escusas”.

Bomfim aponta “o ex-deputado federal Iran Barbosa e a atual deputada estadual Ana Lúcia Vieira como os dois únicos carregadores de sonhos dentro do PT”.

“No cabaré, é apropriado dizer que a aliança entre Marcelo Déda (PT), Jackson Barreto (PMDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB) é uma verdadeira suruba política”, resumiu, alegando que “eram todos inimigos e, politicamente, hoje, dormem todos juntos”.

“Onde estão os grandes quadros do PT? Na Casa Civil? Na secretaria da Fazenda? Na direção do Banese? Na secretaria da Educação?”, cobrou, ressalvando apenas o nome de José Oliveira Júnior, como um grande quadro técnico do PT, ocupando hoje a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão - Seplag.

Marcélio também justifica sua reprovação às gestões Marcelo Déda, argumentando que, em 2000, Déda foi eleito prefeito de Aracaju, prometendo desprivatizar a prefeitura. “Ele não fez a licitação pública do transporte, não acabou com o contrato da empresa Torre, não fez a retirada das máquinas dos parquímetros, que levavam 94% da receita do estacionamento”, condenou.

Arrependimentos

Apesar dos dissabores, Bomfim confessou apenas dois arrependimentos: O primeiro foi, sob o comando de Jackson Barreto (PMDB), ter traído José Carlos Teixeira (PMDB), na disputa pelo Governo do Estado em 1986, apoiando o então candidato Antônio Carlos Valadares (PSB).

Virulento

"Valadares foi o governo mais virulento que Sergipe já viu. Durante a campanha de Wellington Paixão à PMA, Valadares botou a polícia para não nos deixar entrar nos arraiás nos bairros. Conseguimos manter a campanha por força de decisão judicial”, protestou.

“Valadares foi o governo mais truculento com as manifestações dos professores. Marcelo Déda, então deputado estadual, chegou a ser empurrado pela polícia no meio de uma manifestação”, relatou.

Dilma

O segundo arrependimento é de não ter votado em Dilma Rousseff (PT/RS) para presidente da República em 2010. “No primeiro turno, votei num companheiro de lutas, o Plínio de Arruda Sampaio (Psol). No segundo turno, votei em José Serra (PSDB) por não ter acreditado que ela (Dilma) seria uma administradora muito melhor do que Lula.

“Ela vem mostrando que é uma administradora eficiente porque Lula, toda a sujeira que houve no seu governo, ele escondeu embaixo do tapete”, criticou.

PMA 2012

Ele demonstrou pouca crença ao ser questionado sobre a possibilidade de uma candidatura do deputado federal Almeida Lima (PMDB) à PMA em 2012. “Almeida Lima não junta, não agrega, não acredito que tenha condição de ser candidato à Prefeitura de Aracaju em 2012”, admitiu.

Construtoras

Instigado a avaliar a administração de Edvaldo Nogueira, Marcélio Bomfim declarou que “todos os prefeitos eleitos em Aracaju, ao assumirem o mandato em 1º de janeiro, escolheram uma construtora para administrar a capital”.

Segundo ele, na gestão de Jackson Barreto, pela afinidade com José Carlos Teixeira, a construtora beneficiada foi a Norcon.

“Quem disser que Jackson roubou na prefeitura, estará mentindo. Ele foi um irresponsável, autorizando obras nos bairros para eleger Valadares governador. Mandou que as construtoras fizessem as obras, deixando para abrir a licitação somente depois. A conclusão disso é que até hoje existem ruas em Aracaju que não podem ser pavimentadas porque constam na prefeitura como já asfaltadas”, relatou.

Segundo Marcélio, depois de eleito e de posse da documentação das irregularidades praticadas na PMA, Valadares teria urdido a cassação de Jackson Barreto. “Pegou essa papelada toda e entregou na mão de um deputado brilhante, que agiu como um verdadeiro promotor – Marcelo Déda”.

Voltando a comentar influência das construtoras nas administrações públicas, declarou desconhecer o vínculo estreito estabelecido com o Governo Déda. “Ainda não consigo dizer qual a construtora escolhida para governar junto com Déda. Mas, posso dizer que o mais inteligente de todos foi Edvaldo Nogueira, que ao invés de se juntar, preferiu se associar, casando-se com uma construtora”.

Cabaré Bambu

No cabaré de 5ª, Bomfim confirmou informação divulgada pelo jornalista Diógenis Brayner de que, durante o processo de mobilização e organização para fundação do Partido dos Trabalhadores em Sergipe, uma das andanças feitas com Lula (PT), ex-presidente da República, finalizou no Cabaré Bambu, à época localizado na saída de Aracaju. “Neste dia, tomamos pindaíba e comemos bolachão”.

Ele ainda lembra que, ao entrar de forma clandestina, pela primeira vez, no Cabaré Miramar, já percebeu as mesas cheias de autoridades. “Dali saíam as grandes decisões em Sergipe”.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Marcélio Bomfim ameaça desnudar todos os políticos sergipanos no Cabaré de 5ª


Por Eliz Moura
www.bellamafia.org


O ex-vereador de Aracaju e fundador do Partido dos Trabalhadores em Sergipe, Marcélio Bomfim, pretende aproveitar a sabatina
da 32ª edição do NósnoCabaré.comConvidados para "desnundar certas figuras políticas de Sergipe", a partir das 19h30 da próxima quinta-feira (18).  Ele será sabatinado pelos jornalistas cabarezeiros e promete falar tudo o que sabe e o que viu na política de Sergipe nos últimos 30 anos.

Bomfim garante que fará um relato histórico e falará sobre ditadura, golpe militar, exílio político, fundação do PT, candidatura ao Governo pela sigla, alianças, arrependimentos, governos municipal, estadual e federal. Marcélio garante que as grandes decisões políticas de Sergipe nasceram nos mais famosos cabaré da cidade.

Será verdadeira a informação de que Marcélio, ao lado do ex-presidente Lula (PT/SE), realmente frequentou o Cabaré Miramar, conforme publicado pelo jornalista Diógenis Brayner, na sua coluna Plenário, do Correio de Sergipe? Esta e outras respostas você ficará sabendo no Cabaré de 5ª!

O Cabaré  acontece toda quinta feira, foi idealizado pelos jornalistas Chico Freire, Eliz Moura e Ferreira Filho, não tem fim lucrativo, é de livre acesso, a participação na sabatina é franqueada mediante inscrição, os temas são livres e a consumação é pessoal.

Todos os jornalistas participantes são livres para produção de textos fundamentados na pauta do cabaré. A cobertura completa de todas as sabatinas é distribuída voluntariamente para toda a imprensa de Sergipe e reproduzida simultaneamente no blog http://www.bellamafia.org/

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Entidades debatem o Plano Diretor no Cabaré de 5ª

Por Eliz Moura


O trânsito, o planejamento urbanístico, as grandes edificações, a destinação do lixo, o estogamento sanitário, drenagens e pavimentações, a preservação ambiental e o crescimento desordenado. Enfim, tudo que está sendo debatido sobre o Plano Diretor de Aracaju - PDA, na pauta da sabatina da 30ª edição do NósnoCabaré.comConvidados, a partir das 19h30, no Bar Templo Gelado, localizado à avenida Joventina Alves, nº 195, no bairro Salgado Filho.

A sabatina do Cabaré de 5ª reunirá um grande número de entidades civis para debater a Revisão do Plano Diretor de Aracaju e os Quatro Códigos Urbanísticos, em tramitação na Câmara de Vereadores, com as participações de Jussara Jacinto, representando a Instituto dos Advogados de Sergipe - IASE; Edson, representante do Instituto dos Arquitetos de Sergipe - IAB; Vera Ferreira e Jorge Silveira, membros do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura - Crea; além de Naum Araújo, integrante da Associação do Engenheiros Agrônomos de Sergipe - Aease.

O Cabaré acontece toda quinta feira, foi idealizado pelos jornalistas Chico Freire, Eliz Moura e Ferreira Filho, não tem fim lucrativo, é de livre acesso, a participação na sabatina é franqueada mediante inscrição, os temas são livres e a consumação é pessoal.


Todos os jornalistas participantes são livres para produção de textos fundamentados na pauta do cabaré. A cobertura completa de todas as sabatinas é distribuída voluntariamente para toda a imprensa de Sergipe e reproduzida simultaneamente no blog http://www.bellamafia.org/

quinta-feira, 28 de julho de 2011

A "faxina seletiva" de Valadares só livra as morenas do Cabaré de 5ª

 





Por Eliz Moura


Depois de propor uma "faxina seletiva" para livrar o Governo Dilma dos "ratos de asfalto" que corroem as licitações e verbas federais destinadas às obras de recuperação e duplicações de estradas do Ministério dos Transportes, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE) irá aliviar as tensões junto as provocantes morenas no Cabaré de 5ª.

Na próxima quinta-feira (28), Valadares será submetido a 29ª sabatina do NósnoCabaré.comConvidados, a partir das 19h30, no Bar Templo Gelado, localizado à av.: Joventina Alves, nº 195, no bairro Salgado Filho.

Sob os cuidados das morenas, Valadares revelará se foi convidado e se pretende assumir um ministério, abrindo vaga no Senado da República para abrigar o ex-presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra (PT/SE); falará sobre a possibilidade de candidatura do seu filho, deputado federal Valadares Filho, à Prefeitura de Aracaju em 2012; e se submeterá às diversas provocações dos jornalistas frequentadores do Cabaré de 5ª!

O evento acontece toda quinta-feira, foi idealizado pelos jornalistas Chico Freire, Eliz Moura e Ferreira Filho, não tem fim lucrativo, é de livre acesso, a participação na sabatina é franqueada mediante inscrição, os temas são livres e a consumação é pessoal.

Todos os jornalistas participantes são livres para produção de textos fundamentados na pauta do cabaré. A cobertura completa de todas as sabatinas é distribuída voluntariamente para toda a imprensa de Sergipe e reproduzida simultaneamente no blog http://www.bellamafia.org/

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Eduardo Pelella impõe os limites da Lei ao Cabaré de 5ª!

 

Eduardo Pelella: Dura lex, sed lex

Por Eliz Moura



Nesta quinta-feira (21), não haverá jeito! Todas as morenas, frequentadores e simpatizantes, precisarão que manter a compostura e se render aos rigores da Lei para receber Eduardo Pelella, procurador-geral do Ministério Público Federal de Sergipe - MPF/SE, durante a sabatina de 28ª edição do
NósnoCabaré.comConvidados, a se realizar a partir das 19h30, no Bar Templo Gelado, localizado à avenida Joventina Alves, nº 195, no bairro Salgado Filho.

Suspeita de corrupção, desvio de verbas da merenda escolar, malversação de recursos públicos destinados aos serviços de saúde, aplicação indevida de recursos federais, crimes políticos, administrativos, eleitorais, atos de improbidade administrativa, investigações, indícios de irregularidades e muito mais, com o procurador Eduardo Pelella e as morenas, na pauta do Cabaré de 5ª!

O evento acontece toda quinta-feira, foi idealizado pelos jornalistas Chico Freire, Eliz Moura e Ferreira Filho, não tem fim lucrativo, é de livre acesso, a participação na sabatina é franqueada mediante inscrição, os temas são livres e a consumação é pessoal.

Todos os jornalistas participantes são livres para produção de textos fundamentados na pauta do cabaré. A cobertura completa de todas as sabatinas é distribuída voluntariamente para toda a imprensa de Sergipe e reproduzida simultaneamente no blog http://www.bellamafia.org/