Loading...

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Parquímetros estão há um ano esperando por licitação


No próximo mês, fará um ano que a Prefeitura de Aracaju administra o estacionamento rotativo no Centro da cidade, popularmente conhecido por parquímetro. Quando isso ocorreu, a previsão era que o processo licitatório para a escolha de uma nova empresa fosse concluído em três meses. Segundo a Assessoria de Comunicação da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), várias empresas de todo Brasil se habilitaram, mas somente uma se apresentou, no segundo semestre de 2010.

Ainda conforme a assessoria, o processo de licitação continua sendo analisado por técnicos da SMTT e também do Tribunal de Contas para que seja feito de maneira bastante transparente. A vencedora da licitação terá que implantar o novo modelo de gestão do estacionamento rotativo, que prevê, entre outras medidas, a informatização do sistema. O contrato é de 10 anos, prorrogável por mais 10.

Para selecionar quem irá administrar o estacionamento rotativo, que foi explorado durante dez anos pela Varca Scatena, foi lançado um edital no dia 8 de fevereiro de 2010. A principal exigência da licitação, feita com base nas opiniões da população e em modelos existentes em outras cidades brasileiras, é que o ganhador possua um parque tecnológico moderno, de forma a oferecer maior conforto aos usuários do estacionamento rotativo.

Desde 16 de novembro de 2010 estão à venda tickets para o estacionamento rotativo em Pontos Banese localizados no Centro da cidade. No entanto, os usuários continuaram tendo à disposição os parquímetros instalados na área. Nos Pontos Banese estão sendo vendidos cartões nos mesmos valores das máquinas, só que identificados por cores: azul R$ 0,45 (30 minutos); rosa R$ 0,90 (60 minutos); verde R$ 1,35 (90 minutos); vermelho R$ 1,80 (120 minutos). Os cartões devem ser preenchidos pelo próprio usuário com o número da placa do veículo, o dia e o horário.

Com a informatização do sistema, será possível controlar e fiscalizar melhor toda a receita adquirida pela empresa concessionária e as taxas posteriormente repassadas à prefeitura, que serão investidas em obras. Na primeira etapa de exploração do serviço, foram disponibilizadas 1.700 vagas para estacionamento rotativo, gerando uma receita mensal de cerca de R$ 114.456.

Já na segunda fase, que terá duração de 108 meses, as vagas serão ampliadas para 3 mil. A partir daí, a receita prevista é de R$ 194.720, mas a empresa concessionária terá direito a apenas 7,4% desse montante.
Publicada: 11/01/2011
Texto: Janaina Cruz / Foto: Jorge Henrique
Jornal da Cidade